Câmara rejeita pedido de investigação de assédio moral

Câmara rejeita pedido de investigação de assédio moral

Postado em 7 de novembro de 2018 0
Votação aconteceu na sessão ordinária desta terça-feira (6)

A Câmara de Vereadores de Gaspar rejeitou o pedido de abertura de sindicância para apurar se houve assédio moral por parte do prefeito de Gaspar em áudio enviado aos servidores municipais em agosto deste ano.

O requerimento do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Gaspar (Sintraspug) foi votado na sessão ordinária de terça-feira (6). Oito parlamentares votaram contra a investigação e quatro votaram a favor, sendo que o presidente da Casa só votaria em caso de empate. Com o resultado da votação, o requerimento foi arquivado.

A denúncia do Sintraspug é referente ao áudio do prefeito, enviado por aplicativo, onde ele pedia para que servidores municipais se empenhassem na divulgação positiva da proposta que criava o Prêmio Assiduidade em substituição ao Auxílio Alimentação.

Na gravação, o gestor anunciou que, caso não tivesse o pedido atendido, iria “tomar providências”. O argumento foi atribuído pelo Sintraspug como assédio moral. O caso foi amplamente divulgado pela imprensa regional.

O sindicato baseou o requerimento na Lei Ordinária Municipal 2.415/2013, que define a prática de assédio moral nas dependências da Administração Pública Municipal por agentes públicos municipais.

Além de servidores municipais e representantes do Sintraspug, o prefeito compareceu a sessão e argumentou sobre os fatos. Confira na íntegra a gravação da sessão: